Mapeadas

uma seleção de nossos navegadores

Astrolábio v-2.0

O brinquedo de navegar sem perder o Sul
por Claudio Barria
Da edição

O Astrolábio se con­so­li­dou co­mo mí­dia co­la­bo­ra­ti­va que bus­ca abor­dar com le­ve­za e sen­si­bi­li­da­de as te­má­ti­cas que nos in­te­res­sam pa­ra me­lhor na­ve­gar­mos sem per­der o Sul; Arte, Cultura po­pu­lar, me­mó­ria, arte-educação, meio-ambiente, me­di­a­ção cul­tu­ral, li­vro e lei­tu­ra, cul­tu­ra da in­fân­cia.

Esta no­va fa­se traz gran­des mu­dan­ças que fa­ci­li­tam a na­ve­ga­ção e a par­ti­lha.  O no­vo de­sign traz con­si­go uma car­ga pro­fun­da de tra­je­tó­ri­as es­té­ti­cas que se in­ter­po­lam e pro­du­zem sen­ti­dos.  Mas não é ape­nas apa­rên­cia.

Na sua no­va fa­se, o Astrolábio cres­ce e ga­nha au­to­no­mia, as­su­min­do sua vo­ca­ção de ul­tra­pas­sar fron­tei­ras, e am­pli­an­do sua re­de de co­la­bo­ra­do­res en­tre­la­ça tam­bém olha­res da e pa­ra a nos­sa América, o Abia-Yala – co­mo é cha­ma­do o nos­so con­ti­nen­te pe­los po­vos ori­gi­ná­ri­os – de en­con­tro à he­ran­ça afri­ca­na, re­len­do sen­ti­dos da mo­der­ni­da­de eu­ro­cen­tra­da. Neste reinventar-se, o an­ti­go Menu – com a sua sequên­cia li­ne­ar de cai­xi­nhas – vi­ra um plu­ri­ver­so de mar­ca­do­res, ou me­lhor, in­de­xa­do­res ico­no­grá­fi­cos:

  • Arte/Educação e ou­tras me­di­a­ções (me­mó­ria, con­cei­tos, re­fle­xões e prá­ti­cas da Educação atra­vés da Arte).
  • Brasilidades (o Brasil pro­fun­do, a cul­tu­ra po­pu­lar iden­ti­tá­ria).
  • Cultura Viva (de e so­bre Pontos, pon­ti­nhos e pon­tões de cul­tu­ra).
  • Cultura Infância (re­gis­tros e re­fle­xões so­bre a Cultura da Infância).
  • Ecologias (di­ver­sas pers­pec­ti­vas da Educação am­bi­en­tal e seus en­tre­la­ça­men­tos com a ar­te).
  • Letras e li­te­ra­tu­ras (re­fle­xões e re­la­tos so­bre pro­mo­ção do li­vro e lei­tu­ra).
  • Interfases [efer­ves­cên­ci­as hu­ma­nas na ar­te e na po­e­sis] (a Arte fa­la por si, nas mais di­ver­sas ma­ni­fes­ta­ções e lin­gua­gens – po­e­sia, ar­tes plás­ti­cas, vi­su­ais e au­di­o­vi­su­ais, fo­to­gra­fia, so­no­ri­da­des, e um lon­go etc.; a me­di­a­ção é o Astrolábio).
  • Abya -Yala (bi­lín­gue – a cul­tu­ra po­pu­lar iden­ti­tá­ria da Nossa América + pro­du­ções e re­fle­xões so­bre a des­co­lo­ni­za­ção da es­té­ti­ca e do pen­sa­men­to so­ci­al).

***

Quanto à sua li­nha edi­to­ri­al, o Astrolábio se­gue e apro­fun­da sua ca­mi­nha­da.  Como uma pro­pos­ta de cu­ra­do­ria in­te­ra­ti­va e co­la­bo­ra­ti­va en­ten­de­mos a pla­ta­for­ma um Recurso Educativo Aberto (REA), ten­do to­do seu acer­vo sob li­cen­ça Creative Commons (CC) – além da pro­gra­ma­ção e o de­sign con­ce­bi­dos pa­ra pro­pi­ci­ar e fa­ci­li­tar a co­la­bo­ra­ção e a par­ti­lha.

Assim, pa­ra quem não a co­nhe­cia, con­ti­nu­a­mos com três ti­pos de ma­té­ri­as: Próprias (ou au­to­rais), ma­pe­a­das ou mi­xa­das;

Todas elas po­dem ser pro­du­zi­das pe­la equi­pe do Astrolábio ou pe­la nos­sa re­de de co­la­bo­ra­do­res; Para vo­cê fa­zer par­te des­ta re­de bas­ta vo­cê nos en­vi­ar seu con­teú­do – ma­pe­a­do, pro­du­zi­do ou mi­xa­do por vo­cê – usan­do os for­mu­lá­ri­os na se­ção Partilhe con­teú­do, na nos­sa Landpage.

Todas as ma­té­ri­as têm su­as re­fe­rên­ci­as no fi­nal da pá­gi­na, além do au­tor no to­po da ma­té­ria, após o tí­tu­lo.  As re­fe­rên­ci­as man­têm es­se pro­to­co­lo:

  • Fonte: de on­de eu pe­guei in­for­ma­ções pa­ra pro­du­zir uma ma­té­ria PRÓPRIA.
  • Mapeado em: re­fe­rên­cia e link o lo­cal na web em que o con­teú­do da ma­té­ria foi co­pi­a­da.
  • Mixado a par­tir de: ma­té­ria pro­du­zi­da por nós (ou al­gum co­la­bo­ra­dor) que uti­li­za pe­da­ços in­tei­ros de ar­ti­gos de ou­tros si­tes (ge­ral­men­te mais de um, mas não só).

De mo­do ge­ral, o Astrolábio con­ti­nu­a­rá mez­clan­do con­teú­do com di­ver­sos graus de apro­fun­da­men­to e den­si­da­de, as­sim co­mo em di­ver­sos for­ma­tos e lin­gua­gens, de mo­do a atin­gir di­ver­sos pú­bli­cos; Mantendo um le­ve acen­to na par­ti­lha de re­la­tos de ex­pe­ri­ên­ci­as e nas re­fle­xões mais apro­fun­da­das, no con­tor­no dos mar­ca­do­res que a ico­no­gra­fia apre­sen­ta­da de­li­mi­ta.

Erros e/ou atri­bui­ções in­cor­re­tas
Se vo­cê en­con­trar al­gum er­ro por fa­vor nos avi­se; Contamos com vo­cê pa­ra man­ter­mos a qua­li­da­de dos con­teú­dos e das in­for­ma­ções vei­cu­la­das;

redacao@astrolabio.org.br

***

Aviso le­gal
O Astrolábio é uma re­vis­ta di­gi­tal co­la­bo­ra­ti­va bi­mes­tral, pro­mo­vi­da pe­lo Instituto de Arte Tear, co­mo par­te das ações do Pontão de Cultura e Educação Tear, pu­bli­ca­do e dis­tri­buí­do sob li­cen­ça CC BY-SA (*).  Como mí­dia li­vre pau­ta­da na par­ti­lha, es­ti­mu­la­mos a re­mi­xar, adap­tar e cri­ar a par­tir do nos­so con­teú­do, des­de que atri­buí­do o de­vi­do cré­di­to e que as no­vas cri­a­ções se­jam li­cen­ci­a­das sob ter­mos idên­ti­cos.

 

Astrolábio – Sobre o sen­ti­do de ser brin­que­do de na­ve­gar

(*) Esta li­cen­ça per­mi­te que ou­tros re­mi­xem, adap­tem e cri­em a par­tir do seu tra­ba­lho, mes­mo pa­ra fins co­mer­ci­ais, des­de que lhe atri­bu­am o de­vi­do cré­di­to e que li­cen­ci­em as no­vas cri­a­ções sob ter­mos idên­ti­cos. Esta li­cen­ça cos­tu­ma ser com­pa­ra­da com as li­cen­ças de soft­ware li­vre e de có­di­go aber­to “copy­left”. Todos os tra­ba­lhos no­vos ba­se­a­dos no seu te­rão a mes­ma li­cen­ça, por­tan­to quais­quer tra­ba­lhos de­ri­va­dos tam­bém per­mi­ti­rão o uso co­mer­ci­al. Esta é a li­cen­ça usa­da pe­la Wikipédia e é re­co­men­da­da pa­ra ma­te­ri­ais que se­ri­am be­ne­fi­ci­a­dos com a in­cor­po­ra­ção de con­teú­dos da Wikipédia e de ou­tros pro­je­tos com li­cen­ci­a­men­to se­me­lhan­te.