Interfases

efervescências humanas na arte e na poesis

Questão de Gênero

Palhaçarias em série
por Valquíria Mascarenhas

Da edição 21 - Espaço habitado, território de criação

Era uma vez aquele rapaz, aquela rapaz, aquela rapazes, aquele rapariga, aquela aquém
da questão. Há quem lê.

 

Era uma vez um sapato perdido em uma estrada, um único lado. Tantos pés couberam ali.

Era uma vez não vá por ali, não vá por aqui, vem, sobe no trem. Dá a volta e desce por ali, sai do trem, volta, pede licença, pede companhia, volta pro trem, treme de medo. Desconfia de tudo, de todos, senta, reza, chora, segue, cega. Chega.

Era uma vez as referências poéticas, as histórias mil vezes contadas, ela se preenche daquilo e daquele. Ele constrói – será do vazio? Que histórias lhes contam?

Uma vez era, já era.

Fernanda Paixão é palhaça, arte-educadora do Instituto de Artes Tear e atualmente pratica e pesquisa a comicidade com ênfase na linguagem da palhaça com o codinome Valquíria Mascarenhas. Faz parte do Coletivo Vento Sutil, colabora com o Coletivo Pitoresco de Cinema e na Plataforma Performers Sem Fronteiras

Ilustrações: Trouche – fonte http://portroche.blogspot.com.br/